Como fazer freelas em TI

0
freelas

A carreira de programador pode ser autônoma, direto de casa: é o caso dos freelas. Seja como fonte principal de renda ou apenas uma forma de preencher as horas vagas fazendo uma grana extra, os freelas têm bastante espaço no mercado de trabalho. Mas como começar? A gente te conta!

Monte um portfólio

Ele é sua carta de apresentação. Antes entrar em contato, a empresa quer saber mais sobre você e seus trabalhos. No entanto, o portfólio não substitui o currículo: na verdade, eles são complementares. A gente já mostrou por aqui algumas dicas de como fazer um portfólio exemplar.

Conquiste os primeiros clientes

Mesmo que indiretamente, os primeiros clientes podem trazer os próximos, por meio de indicações. Para chegar neles, aqui estão algumas dicas:

  • Redes sociais – LinkedIn, Facebook, Twitter. Não importa qual rede você mais utiliza, o importante é divulgar o seu trabalho. Use as redes para deixar claro que está disponível para novos projetos. Crie network e entre em grupos específicos de freelancer.
  • Amigos e família – Talvez, esta seja a maneira mais fácil de conquistar clientes, já que possui mais proximidade com as pessoas. Sempre tem alguém na sua lista de contatos que está precisando de freelas para as mais diversas áreas.
  • Sem fins lucrativo – Que tal fazer trabalho voluntário? Além de ganhar experiência e aumentar o portfólio, freelas que fazem trabalho voluntário são bem vistos no mercado. E, acima de tudo, você estará contribuindo com a comunidade.

Defina o valor do seu trabalho

É difícil dizer que você deve cobrar X ou Y, há muitas variáveis que precisam ser levadas em conta. Com alguns passos, você pode calcular o valor do seu trabalho.

  • Calcule o quanto você gostaria de ganhar por ano sendo freelancer;
  • Acrescente quaisquer despesas. Por exemplo, custos mensais, taxas de transação, despesa de software e equipamentos e etc.;
  • Divida esse número pelo número de horas que você irá trabalhar por ano.

Inicialmente, você pode fazer os cálculos mensais. É importante ressaltar que o preço do trabalho aumenta conforme você ganha experiência e conhecimento.

Mantenha os clientes no radar

Primeiramente, lembre-se do profissionalismo: não comece nenhum trabalho sem contrato assinado! É interessante, inclusive, abrir uma conta MEI (Microempreendedor Individual) para manter tudo em nível profissional. Além disso, o documento é uma segurança para o pagamento e a entrega do seu trabalho. Inclua nele informações sobre prazos, a descrição específica do job, os valores e datas de pagamento.

Após conquistar seu clientes, mantenha-os no radar. Eventualmente, encaminhe uma mensagem para saber se está tudo certo com o projeto, se ele tem interesse em algum outro serviço. Parece clichê, mas é verdade: que não é visto, não é lembrado.

Evite esses erros

Entre os erros mais comuns dos freelas em programação, estão estes abaixo. Evite-os!

Seja realista sobre suas capacidades e sobre o seu tempo. Não ofereça mais do que conseguirá produzir e defina prazos um pouco maiores do que você realmente precisa. Dessa forma, você pode até mesmo entregar o trabalho antes do tempo previsto. Melhor adiantar do que atrasar.

Acompanhe suas despesas. Tenha uma planilha de controle dos seus recebimentos e gastos mensais. Como o pagamento é variável de acordo com os jobs em andamento, isso vai ajudar a se organizar financeiramente.