O que é preciso para ser um bom programador?

0
bom programador

Essa é a profissão que mais cresce no mundo atualmente. São milhares de vagas abertas e praticamente toda empresa precisa de um programador em algum momento. Seja para criar um site, um sistema de controle interno, uma plataforma de comunicação com os clientes, o bom programador está sempre no radar dos empresários. Como então se tornar um profissional de destaque e aproveitar essas oportunidades?

Estude!

Pode parecer clichê, mas é preciso focar o começo dos estudos pelo início, realmente, da área de programação. Isso inclui, por exemplo, saber que a programação é um tipo de linguagem – e aprendê-la é como desenvolver um novo idioma. Por isso, é fundamental compreender a base, aquilo que vai direcionar seus passos a uma especialização em uma determinada linguagem.

Então a primeira dica é fazer um “passeio” por todas as áreas da programação. Conheça um pouquinho das linguagens com as quais um programador pode trabalhar. Para isso, faça um curso de programação geral, que te dá a base do conhecimento na área. A Jornada de Formação em TI da Uniprogram é uma excelente opção. Depois disso, você vai poder escolher a linguagem que faz mais sentido para sua vida, com a qual você mais se identifica. Por consequência, essa será também a área em que você mais vai se realizar trabalhando.

Seja autodidata

A área de tecnologia se atualiza a todo momento. Por isso, além de ter uma formação tradicional é essencial buscar conhecimento por conta própria para se manter atualizado. O ideal é que você seja especialista em uma linguagem específica e ao mesmo tempo tenha uma base sobre as demais. Além disso, conhecimento nunca é demais. Por isso, procurar informações sobre linguagens diferentes é uma forma de se preparar para os desafios da profissão no dia a dia.

Pratique (muito!)

Não há forma mais eficaz de fixar conhecimento do que colocá-lo em prática. Dessa forma, depois de iniciar os estudos, busque uma forma de treinar, treinar e treinar tudo o que aprendeu. Isso pode ser feito por meio de um blog pessoal, a criação do seu portfólio ou até mesmo trabalhos freelancers – o que pode gerar também algum ganho financeiro.

Mantenha o foco

Por fim, lembre-se que é só o começo. Muitas vezes, iniciar a carreira é algo desafiador que pode incluir dificuldades financeiras e momentos de desânimo. Por isso, tenha sempre em mente aquilo que levou você a decidir por essa profissão e qual o seu propósito para seguir em frente.