Professora usa poesia para ensinar programação

0

Um projeto usa poesia para ensinar programação em escolas públicas da cidade Caicó, no Rio Grande do Norte. Chamada de Poesia Compilada, a iniciativa foi criada pela estudante de Sistemas da Informação Soraya Roberta dos Santos. Ela usa a poesia como método de ensino da linguagem dos algoritmos.

A poética da programação

Em entrevista ao Huffpost Brasil, Soraya conta que teve o primeiro contato com um computador aos 12 anos. Aos 16, descobriu a vocação com as linguagens de programação, quando cursou informática em uma escola técnica. Ao fazer as atividades da matéria de lógica de programação e literatura, resolveu unir os dois “mundos”. Surgiu o primeiro texto juntando linguagem de programação com poesia. Mais tarde, o projeto nasceu e deu origem a um manifesto, feito em parceria com o amigo Felipe Tavares.

ensinar programação


Programação para todos

A ideia de ensinar programação por meio de poesia veio depois que Soraya percebeu que muitos colegas da faculdade não tinham nenhum conhecimento na área no início do curso. Ela então montou um mini-curso que relaciona conceitos e faz uma analogia com os poemas para explicar algoritmos.

Essa experiência deu origem a uma metodologia criada pela própria estudante, que passou a aplicar o método em uma escola pública. Mesmo sem acesso a computadores, por causa da falta de recursos, alunos do 6º ano (com idade entre 10 e 11 anos) aprendem a programar. Isso prova que não há idade para iniciar a carreira de programador. A proposta é expandir o projeto para alcançar mais crianças e mais escolas. Dessa forma, a ideia é tornar o aprendizado da programação mais acessível.

Você também pode programar

A Uniprogram também torna acessível o aprendizado da programação. Você pode cursar a Jornada de Formação em TI em casa, sem precisar se deslocar. Isso porque o curso é à distância. Além disso, o tempo de duração da formação é atrativo. Na Uniprogram, de acordo com o seu desempenho, você pode se tornar um programador em quatro meses.